O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
[ Colaboradores ][ A História do Jornal ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ]
Edição de 02-02-2018
Pesquisa
Livro
Alto Douro Vinhateiro Alto Douro Vinhateiro Versão Inglesa
 

Arquivo: Edição de 04-03-2011

SECÇÃO: Política

Comunicado do CDS de Alijó - o CDS apoia a construção da Barragem sem sacrificar a linha férrea do Tua

Com o arranque oficial da barragem Foz Tua abre-se uma porta de esperança e de desenvolvimento para a região do Vale do Tua e para o concelho de Alijó.

foto
O CDS congratula-se com o projecto na medida em que o mesmo vai criar postos de trabalho na região evitando assim que as pessoas procurem emprego noutros pontos do país.
O CDS espera que a barragem traga para o concelho desenvolvimento económico, na criação de novas empresas e concomitantemente de emprego e que ao mesmo tempo crie oportunidades de expandir o turismo e a agricultura vectores essenciais para dinamizar a economia do concelho.
É por estas razões que, o CDS de Alijó na polémica da barragem sempre defendeu a sua construção, mas sem sacrificar a linha férrea do Tua, já que esta “não sabe nadar”.
Para o CDS a construção da barragem nunca poderá por em causa a linha férrea, sendo esta um património histórico e de interesse nacional.
O CDS entende que a alternativa de substituir o comboio por barco é uma péssima solução para as pessoas, para a região e acaba por destruir um pedaço da história do país.
O CDS responsabiliza por isso os negociadores que em representação dos municípios ribeirinhos cozinharam com a EDP o encerramento da linha férrea do Tua.
O CDS de Alijó considera que o Presidente da Câmara Municipal ao fazer parte integrante do grupo negociador para as contrapartidas pela construção da barragem foi negligente ao aceitar o encerramento da linha férrea do Tua até Brunheda, sendo este prejudicial às pessoas e à região.
Deste modo o CDS entende que Artur Cascarejo, ao dar o seu consentimento à substituição do comboio pelo barco tornou-se num dos coveiros da linha férrea.
Para o CDS, segundo o líder local, Rogério Lima, a verdadeira alternativa que interessa às pessoas e à região é a construção dos 16 quilómetros de via férrea do Tua a Brunheda na margem direita do rio, mantendo a linha a sua extensão do Tua a Mirandela.
Esta é a alternativa que se impõe para manter o desenvolvimento da região e acautelar a necessidade de transporte para as pessoas e mercadorias que utilizam a linha férrea do Tua.

CDS de Alijó

[Utilidades]
[Outras Notícias]
O Meu Jornal
(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt